PortoPostDoc

Maria do Mar na Cerimónia de Abertura

por Porto/Post/Doc / 28 07 2021


A oitava edição do Porto/Post/Doc abre com um cine-concerto de homenagem ao cinema português. Maria do Mar, de José Leitão de Barros, musicado ao vivo pela Orquestra Sinfonietta de Lisboa com direção musical de Vasco Pearce de Azevedo e participação especial de Pedro Burmester, a partir de uma partitura original de Bernardo Sassetti. A cópia restaurada é apresentada em estreia no Porto no âmbito de uma parceria entre o festival, a Cinemateca Portuguesa, a Casa Bernardo Sassetti e o Teatro Municipal do Porto.

Maria do Mar é um notável trabalho de integração da paisagem marítima e da vida dos pescadores da Nazaré numa ficção construída à volta do ódio entre duas famílias por causa da morte de um pescador, provocada acidentalmente por outro. Acabará por ser na sequência da união amorosa dos filhos que virá a acontecer a reconciliação. É um trabalho de montagem claramente marcado pela influência da vanguarda soviética da época, onde se notam ainda muitos outros sinais do cinema europeu e americano dos anos vinte do século passado.
Em 1999, por ocasião do restauro do filme Maria do Mar, naquele que seria o primeiro projeto de restauro do laboratório do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, a Cinemateca Portuguesa encomendou a Bernardo Sassetti uma partitura com música original, orquestrada por Vasco Pearce de Azevedo, Bernardo Sassetti e Luís Tinoco.
Representativa da inventividade da sua escrita musical e atenta aos cambiantes emocionais da realização de Leitão de Barros, é uma composição que o músico continuou a trabalhar, em aperfeiçoamentos sucessivos, ao longo da década que se seguiu à aquela estreia, tendo sido apresentada com o filme, em sua vida, em inúmeros outros locais.

José Leitão de Barros nasceu no Porto a 22 de outubro de 1896. Em 1918, realizou os seus primeiros filmes (MALMEQUER, MAL DE ESPANHA). A sua reputação consolidou-se com a realização de A SEVERA (1931), primeiro filme sonoro português, e esteve ligado à criação da Tobis Portuguesa. Realizou filmes como LISBOA, CRÓNICA ANEDÓTICA (1930), ALA-ARRIBA! (1942) e CAMÕES (1946), marcando a cinematografia nacional do período do Estado Novo. Morreu a 29 de junho de 1967.

Bernardo Sassetti nasceu em Lisboa a 24 de Junho de 1970. Depois dos estudos de piano clássico, dedicou-se ao jazz, tendo iniciado a sua carreira musical em 1987. Compôs para formações de diferentes formatos, colaborando regularmente com músicos diversos, não apenas em concertos e gravações, mas teatro e cinema. Dos seus trabalhos de composição para cinema destacam-se Quaresma de José Álvaro MoraisO Milagre Segundo Salomé e Um Amor de Perdição de Mário Barroso, Alice e Como desenhar um círculo perfeito de Marco Martins, 98 Octanas de Fernando Lopes. Faleceu em Cascais a 10 de Maio de 2012.

O Porto/Post/Doc realiza-se entre os dias 20 e 30 de novembro no Teatro Municipal do Porto - Rivoli, Passos Manuel, Coliseu Porto Ageas, Casa Comum da Reitoria da Universidade Porto e Planetário do Porto - Centro Ciência Viva. À semelhança do que aconteceu em 2020, o festival contará ainda com uma extensão ao online, onde será possível visualizar grande parte dos filmes seleccionados. Mais detalhes sobre a programação serão revelados nos próximos meses.


Tags: /
Partilhar: Facebook / Google+ / Twitter
← Notícia anterior Próxima notícia →