Farpões Baldios

Farpões Baldios · Barbs Wastelands

Marta Mateus

2017, PRT, 25', M12


Há Filmes na Baixa!

18 Jul 2017 · Passos Manuel · 22H00


Numa paisagem primaveril, crianças brincam. Em conjunto, percorrem caminhos no meio do campo, descobrem casas abandonadas que servem para jogar às escondidas, comem amoras que as silvas deixam à sua mercê. Mas a jovialidade das crianças contrasta com homens e mulheres que contam histórias de um passado extremado e de um futuro que pensaram ser diferente. As marcas do corpo destes homens e mulheres, simbolizadas pelas mãos de uma mulher muito idosa, são rugosas, marcadas por um tempo que se revela duro e longo. Até as ferramentas de trabalho – enxadas atiradas para o meio do chão – estão gastas e sem utilidade. Marta Mateus inventa, em "Farpões Baldios", uma espécie de tempo sem tempo, uma fábula do Portugal ancestral, numa poesia da paisagem e dos homens que cruza os imaginários de António Reis e Pedro Costa. Nesta sua primeira curta-metragem, a estreia da autora é promissora, integrando um elenco de jovens crianças – que parecem sair de clássicos como "Trás-os-Montes" (António Reis, 1977) ou "O Sangue" (Pedro Costa, 1989) –, que nos interrogam diretamente, através da força do olhar e da sua determinação corporal. "Farpões Baldios" é, assim, um filme num espaço limite sobre um passado e um futuro em discussão. (Daniel Ribas)