The Spirit of '45

O Espírito de '45 · The Spirit of '45

Ken Loach

2013, GBR, 90', M12


Há Filmes na Baixa!

04 Mar 2015 · Passos Manuel · 22H00


O ano de 1945 – que coincide com o fim dos terríveis anos da Segunda Grande Guerra – foi marcado por acontecimentos que alteraram não apenas a Europa, mas vários outros continentes. Durante este período, a união e o espírito de entreajuda dominavam as pessoas, desde os mais jovens aos mais idosos. Com este documentário, que avalia o que se passou especificamente na Grã-Bretanha, Ken Loach oferece ao espectador diversas narrativas e registos históricos que revelam a peculiaridade do espírito dessa época, demonstrando de que forma esse entusiasmo e esperança no futuro pode ser inspirador para os dias de hoje. Segundo as palavras do realizador, "a Segunda Guerra Mundial foi uma luta, talvez a maior e mais considerável luta colectiva em que este país esteve envolvido. Apesar de outros terem feito sacrifícios maiores (…), a determinação de construir um mundo melhor era tão forte aqui como nos outros países. Nunca mais, acreditava-se, iríamos permitir que a pobreza, o desemprego e o fascismo desfigurassem as nossas vidas". Este filme traça um retrato desse momento extraordinário. Folha de Sala Os filmes, principalmente os documentários, servem várias vezes para olhar para trás, aprender com a História e com os erros dos outros mas também com valores e “revoluções” de gerações anteriores. É isso que “O Espírito de ‘45” é: um manual de história, um mapa do panorama sociopolítico do Reino Unido de grande parte do século XX, desde a 2º Guerra Mundial até aos anos 90. Este filme aborda a realidade de forma rigorosa e minuciosa, tal como os restantes obras do seu autor, Ken Loach, realizador inglês que estudou Direito em Oxford e que, antes de fazer cinema, ainda trabalhou na BBC, realizando telefilmes. Filmes como Poor Cow (1967), Kes (1968) e Family Life (1971) são exemplos da sua primeira “vida” no cinema, embora tenha sido década de 90 que Loach se estabeleceu como realizador credenciado: Hidden Agenda (1990), um filme sobre uma investigação feita pela Liga Internacional dos Direitos Humanos em relação aos prisioneiros políticos norte-irlandeses, mereceu o Prémio Especial do Júri do Festival de Cannes. Seguiram-se filmes Raining Stones (1993) e Land and Freedom (1995), este último sobre a Guerra Civil Espanhola, que consolidaram de vez Ken Loach como o realizador mais interessante e prolífero de uma espécie de “realismo social britânico”, movimento que deve alguma das suas origens ao período que Loach retrata em “O Espírito de ‘45”. Ken Loach sempre foi um ativista e o seu cinema a sua bandeira de protesto, defendendo as minorias e os oprimidos, contra as guerras, o fascismo, o capitalismo desmedido e o patriarcado. Neste filme, esse ativismo está presente nas histórias contadas pelos entrevistados e nas imagens de arquivo dos anos 40 e 50, como esse “Espírito de ‘45” estivesse cristalizado nessa altura, quando os ingleses, pelos seus esforços e sacrifícios na 2ª Guerra Mundial, achavam que deviam ser melhor liderados e governados. Escolheram pela primeira vez ser governados por um partido socialista (Labour), que defendia os interesses e as condições humanas da maioria da população, empobrecida, doente e faminta depois da Guerra. Essa geração percebeu que coletivamente podia acabar com a miséria e as injustiças no país e Loach quer-nos mostrar como e o quê que essa Inglaterra dos anos 40 conseguiu. Durante todo o filme são nos dadas dicas do “estado de saúde” desse tal “Espírito”, que no final do século XX foi perdendo a sua influência, dando lugar a políticas liberais e capitalistas que atiraram de novos muitos ingleses para a miséria. Pouco a pouco fizeram com que muitos ingleses sentissem falta do “Espírito de ‘45”, esperando que as ideias dessa geração pudessem inspirar os novos movimentos anti-capitalistas deste século. André Puertas (Porto/Post/Doc)