PortoPostDoc

Fuck The Polis

Fuck The Polis · Fuck The Polis

2020, PT, 90'


Fórum do Real

27 Nov 2020 · Online · 10H00


Tomamos de empréstimo o título do livro de João Miguel Fernandes Jorge, no qual o autor evoca o universo clássico grego, para dar o mote para este painel. O jogo patente no título – Fuck the Polis/ Fuck the Police – permite-nos, desde logo, avançar para o carácter policial das cidades contemporâneas, onde a distribuição dos corpos se faz por via de uma ordem altamente estratificada. Dos coletes-amarelos ao sub-proletariado sem ar nos transportes sobrelotados dos subúrbios, do poeta-mendigo, irmão dos sem-abrigo, sem pertença urbana, que sociedade, que comunidade, que massa informe se concentra hoje na nova pólis policiada deste mundo?

Ana Cristina Pereira (investigadora)
Ana Cristina Pereira é doutorada em Estudos Culturais, pela Universidade do Minho, com a tese "A alteridade e identidade na ficção cinematográfica em Portugal e Moçambique". Os seus principais interesses de investigação são: racismo, identidade social, representações sociais e memória cultural no cinema, numa perspectiva pós-colonial e interseccional, sobre a qual editou vários artigos científicos em publicações nacionais e internacionais. Tem integrado equipas de diversos projectos científicos e, neste momento, é investigadora do projecto (THE) OTHERING. É membro do NARP - Núcleo Antiracista de Porto.

Boaventura de Sousa Santos (sociólogo)
Um dos mais eminentes pensadores contemporâneos portugueses, Boaventura de Sousa Santos é doutorado em Sociologia do Direito pela Universidade de Yale (1973), Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Distinguished Legal Scholar da Universidade de Wisconsin-Madison. Foi também Global Legal Scholar da Universidade de Warwick e Professor Visitante do Birkbeck College da Universidade de Londres. É Director Emérito do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Coordenador Científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa.  Tem escrito e publicado extensivamente nas áreas de sociologia do direito, sociologia política, epistemologia, estudos pós-coloniais, e sobre os temas dos movimentos sociais, globalização, democracia participativa, reforma do Estado, direitos humanos, com trabalho de campo realizado em Portugal, Brasil, Colômbia, Moçambique, Angola, Cabo Verde, Bolívia e Equador. É também poeta.

João Salaviza (realizador)
Estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC), em Portugal, e na Universidade del Cine, em Buenos Aires. A sua primeira longa "Montanha" estreou no Venice Film Festival - Semana da Crítica e foi exibida em vários festivais. Antes disso, João Salaviza realizou uma trilogia de curtas galardoada internacionalmente: "Rafa" (Urso de Ouro na Berlinale'12 e Ingmar Bergman Award no Uppsala; "Arena" (Palme d'Or para Melhor Curta-Metragem no Festival de Cannes'09) e "Cerro Negro" (estreia no Festival de Roterdão'12). Em 2018, realizou, com Renée Nader Messora, "Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos", rodado no norte do Brasil com os indígenas Krahô.

Roger Koza (crítico de cinema)
Roger Alan Koza trabalha como crítico de cinema no jornal de Córdova "La Voz del Interior"; publica regularmente em filmes nas revistas "Quid" e "N~" e também no seu blogue "Ojosabiertos no site Otroscines". Apresenta o programa de televisão "El cinematógrafo" transmitido pelo Canal 10, em Córdoba, e pelo Canal 360, em toda a Argentina. Desde 2006 é programador da secção Vitrina no Festival Internacional de Cinema de Hamburgo; e, desde 2011, no FICUNAM (Festival Internacional de Cinema da Universidad Autónoma de México). Entre 2009 e 2011, dirigiu o Festival do Festival Nacional Rio Negro Proyecta (Argentina). Desde 2014, é também o director artístico do Festival Internacional de Cinema de Cosquín. Tem sido jurado em vários festivais internacionais de cinema.

Moderação: Alexandra Martins e Luís Lima