PortoPostDoc

Júris e Prémios

PRÉMIOS

Grande Prémio Vicente Pinto de Abreu
Para melhor filme da Competição Internacional
Valor de 3.000 euros

Prémio Companhia das Culturas/ Fundação Pereira Monteiro
Para melhor realizador da Competição Internacional entre autores emergentes (≤36 anos)
Residência artística na Companhia das Culturas

Prémio SPAutores - Cinema Falado
Para melhor filme em língua portuguesa de todo o programa, excepto quando assinalado
Valor de 3.000 euros

Prémio Transmission
Para melhor filme da secção Transmission, excepto quando assinalado
Valor de 1.000 euros

Prémio Cinema Novo by Canal 180
Para melhor filme da Competição Cinema Novo
Valor de 500 euros, 2.000 euros em serviços na BLIT e 500 euros em serviços na Show Reel

Prémio Arché by Companhia das Culturas/ Fundação Pereira Monteiro
Para melhor projecto apresentado na oficina Arché
Residência artística na Companhia das Culturas 

 

JÚRIS

Competição Internacional

António Preto

António Preto vive e trabalha no Porto. É mestre em Teorias da Arte, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e doutor em História e Semiologia do Texto e da Imagem, pela Université Paris-Diderot – Paris 7 (tese sobre a relação entre literatura e cinema na obra de Manoel de Oliveira). É também investigador integrado do Centro de Estudos Arnaldo Araújo da Escola Superior Artística do Porto. Tem vindo a trabalhar como comissário e programador, orientado seminários, participado em colóquios internacionais e publicado ensaios em edições universitárias bem como noutras revistas e canais especializados. Actualmente é director da Casa Manoel de Oliveira, da Fundação de Serralves.

Erika Balsom

Erika Balsom é professora de Estudos Cinematográficos e Artes Liberais no King's College, em Londres. O seu livro After Uniqueness: A History of Film and Video Art in Circulation foi publicado pela Columbia University Press em 2017. É autora de Exhibiting Cinema in Contemporary Art (2013) e colaboradora frequente de revistas como Artforum, Frieze, e Sight and Sound. O seu trabalho académico foi publicado em revistas como Cinema Journal, Screen, e Grey Room, e contribuiu para catálogos de exposições de artistas como Sarah Sze, Candice Breitz, e Rachel Rose. Em 2018, recebeu um Prémio Leverhulme e o prémio de ensaio Katherine Singer Kovacs da Society for Cinema and Media Studies. 

Ramiro Ledo Cordeiro

Ramiro Ledo Cordeiro (Lugo, 1981) é o director-geral e programador da DUPLEX Cinema (Ferrol) e responsável pela NUMAX Distribución. Desde a sua criação em 2014, presidiu à cooperativa NUMAX até Setembro de 2020 e foi o director-geral e programador do Cinema NUMAX (Santiago de Compostela). DUPLEX Cinema combina a programação de filmes VO em estreia com projecções de vanguarda e novos restauros digitais de clássicos. NUMAX Distribution é uma distribuidora independente de cinema de autor contemporâneo. Os seus últimos lançamentos incluem "Vitalina Varela" de Pedro Costa; "Estaba en casa, pero..." de Angela Schanelec; "Longa noite" de Eloy Enciso e "O que arde" de Oliver Laxe. Como cineasta, realizou "VidaExtra" (2013); "Galiza 1936-2011. Estudos sobre ou filme de Carlos Velo" (2011); "O proceso de Artaud" (2010) e "CCCV- Cineclube Carlos Varela" (2005).
 

Cinema Falado 

Eduarda Neves

Eduarda Neves é doutorada em Filosofia Contemporânea, na área de Estética. Coordena o grupo de investigação Arte e Estudos Críticos do Centro de Estudos Arnaldo Araújo (CEAA) da Escola Superior Artística do Porto (ESAP), onde também é professor auxiliar. Organizou vários ciclos de debates e conferências, de várias instituições: O Teatro na História das Artes Performativas; O Corpo nas Artes; Arte Contemporânea: Abordagens e Perspectivas; Da Fotografia como Representação à Fotografia como Ficção; A Imagem Fotográfica: do Conceito à Obra, entre muitos outros. Além disso, também desenvolve trabalho independente como curadora e como ensaísta.

Inês Moreira

Inês Moreira é Arquitecta (FAUP), Doutora em Curatorial/Knowledge (Goldmiths Univ. London). O seu percurso na área da cultura cruza os campos da arte, da arquitectura e da curadoria/museologia com áreas mais amplas como a cultura visual, a cultura urbana e o pensamento crítico sobre cidade, território, memória e património. Curadora, editora e organizadora cultural de exposições, bienais e eventos culturais em países europeus, é participante activa em redes europeias tanto culturais como de investigação académica. Investigadora em Pós-Doc na NOVA e Professora Convidada nas Belas Artes do Porto. Interesses actuais: territórios pós-industriais, ciclos de vida do edificado e de locais transformados pelo homem, modos de mediação, pesquisa e apresentação pública.

Sérgio Dias Branco

Sérgio Dias Branco é professor auxiliar convidado de Estudos Fílmicos na Universidade de Coimbra, onde coordena os Estudos Fílmicos e da Imagem e dirige o Mestrado em Estudos Artísticos. Integra o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra e o grupo de análise fílmica da Universidade de Oxford, The Magnifying Class. Leccionou na Universidade Nova de Lisboa e na Universidade de Kent, onde lhe foi atribuído o grau de doutor em Estudos Fílmicos. Publicou vários livros sobre cinema e é co-editor de revistas científicas internacionais neste domínio.

 

Transmission

Capicua

Capicua nasce no Porto nos anos 80, descobre a cultura Hip Hop nos anos 90 (primeiro pelo Grafitti e depois pela música), passando de mera ouvinte a aprendiz de Rapper nos anos 00. Socióloga de formação, considera-se uma rapper militante e é conhecida pela sua escrita exímia, emotiva e politicamente engajada. Já editou vários discos e colaborou com artistas como Sérgio Godinho, Gisela João, Aline Frazão, Ana Bacalhau, Camané ou Sara Tavares.

Daniel Arasanz

Daniel Arasanz é um realizador, argumentista e editor de documentários cuja carreira começou em 2010 com Venid a las Cloacas: La Historia de La Banda Trapera del Río, vencedor do prémio nacional e do prémio do público do Festival In-Edit. Em 2013 realizou El Peor Dios, sobre o grupo Desechables, e em 2019 realizou Parchis: El Documental, que estreou na Netflix. É também responsável pelo booking nacional e pelo departamento técnico do Festival Internacional de Documentários Musicais In-Edit.

Manuela Azevedo

Manuela Azevedo é uma cantora portuguesa, vocalista da banda portuguesa Clã. Licenciada em Direito, paralelamente frequentou o Curso Geral de Piano. Em 1992 foi fundadora, como vocalista, dos Clã. Integrou também o projecto Humanos, com Camané, David Fonseca e outros músicos, que recriou o legado de António Variações entre 2004 e 2006. Colaborou com alguns dos autores mais importantes do panorama da música independente portuguesa e participou em projectos de vários domínios artísticos, do teatro ao cinema.

 

Competição Cinema Novo 

Andreia Magalhães

Andreia Magalhães tem desenvolvido a sua actividade profissional em vários museus nacionais e internacionais, sobretudo no estudo e gestão de colecções e na produção de exposições. É doutorada pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto com uma tese sobre a disseminação dos filme nas práticas e estruturas de recepção artísticas nas décadas de 1960 e 1970. Dirige actualmente o Núcleo de Arte da Oliva e o Centro de Artes de São João da Madeira.

Joana Domingues

Joana Domingues é realizadora de vídeo, vive no porto e trabalha no Canal180.

Tânia Dinis

Tânia Dinis, natural de Vila Nova de Famalicão, residente no Porto, é mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e é licenciada em Estudos Teatrais, Ramo-Interpretação pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE). Tem desenvolvido trabalho como actriz e realizadora e os seus filmes foram já exibidos em vários festivais de cinema nacionais e internacionais.

 

Arché

Mario do Carmo Piçarra

Maria do Carmo Piçarra é professora na Universidade Autónoma de Lisboa, investigadora no ICNOVA e bolseira (2018-2019) da Fundação Oriente. É doutorada em Ciências da Comunicação, tendo, entre 2013-2018, desenvolvido a investigação de pós-doutoramento Cinema Empire - Portugal, França e Inglaterra, representações do império no cinema. É programadora de cinema, co-fundadora da ANIKI - Revista Portuguesa de Imagem em Movimento e foi assessora da direcção do Instituto Português de Cinema, Audiovisual e Multimédia (1998-1999). Entre outras publicações, publicou a obra Salazar vai ao cinema e Azuis ultramarinos. Censura e propaganda no cinema do Estado Novo.

Vanja Munjin Paiva

Investigadora, crítica e programadora de cinema. Socióloga e licenciada em Teoria e Crítica do Cinema pelaa Pontificia Universidad Católica de Chile. Actualmente trabalha como programadora no Festival Internacional de Cinema de Valdivia (FICValdivia), escreve regularmente para o website chileno de crítica cinematográfica El Agente Cine e desenvolve o doutoramento em Estudos Artísticos na Universidade Nova de Lisboa com uma investigação sobre cinema experimental e não-ficção latino-americano com o apoio da CONICYT - BECA CHILE 2019.

Vítor Ribeiro
Programador de cinema na Casa das Artes de Famalicão, com destaque para o Close-up – Observatório de Cinema, desde Maio de 2016, é mestre em Mediação Cultural e Literária, Área de Especialização em Estudos de Cinema e Literatura (Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, 2011-2013) com uma tese sob a forma de Guião Cinematográfico, Em Teu Ventre, que cruza duas obras de Goethe, As Afinidades Electivas e Werther. É programador do Cineclube de Joane e tem escrito regularmente sobre cinema para várias publicações, das quais se destaca o jornal Público e o site à pala de Walsh.