PortoPostDoc

Carte Blanche Carmen Gray

Construir uma história de vida é mitificar e reduzir a complexidade dos factos num refúgio. Como uma criança, Giorgi Shengelaia passou horas a observar as pinturas do primitivista georgiano Niko Pirosmani nas casas de amigos dos seus pais. Pirosmani (1969) canaliza essas memórias. Consciente de que a biografia é um campo de batalha de versões concorrentes, que obscurece tanto quanto revela, Antoinette Zwirchmayr devolve uma ambiguidade radical à história colorida da sua família austríaca em What I Remember (2017). (Carmen Gray)